O design do seu filho não é bom para você

Todo designer com um mínimo de bagagem já passou pela incômoda situação de ter seu job totalmente reformulado pelo(a) ______________ (coloque aqui o nome do parente) do cliente.
O negócio é que por mais que essa situação se repita, a experiência é sempre traumática e deixa traços profundos que, acredito eu, um dia ainda vão me proporcionar um belo infarto do miocário.
Nesta semana que passou um cliente me pediu para formatar um cartão de visitas. Trampo moleza, certo?
Modéstia à conchinchina, o cartão ficou bem bacana e eu já enviei a arte acertando os detalhes da impressão. O que eu não esperava era receber um reply com uma nova arte, formatada em WORD no reply. O plano de fundo:

Ruim? Que nada, permita-me encantar-lo com a lista de famílias tipográficas utilizadas no cartão:

Eu não sei qual foi o milagre que impediu essa criatura de usar comic sans.

Deprimente? Sim. Eu discuti? Não. Só precisava desabafar.
Próximo…

O que você aprende pedalando 100km


Há algum tempo atrás eu lidava com importação e exportação de produtos alimentícios, nome pomposo para “trazer farinha da Argentina e vender”. Era um trabalho muito puxado porque além de gerenciar o negócio junto com meu irmão e mais dois sócios completamente loucos eu participava efetivamente da distribuição dos produtos (Gerente de distribuição AND carregador, sacou)?

Acordava 4:30 da madrugada, carregava caminhão, kombi e o escambau e logo depois rodava por mais de 10horas com o caminhão da entrega. Muitas, mas muitas vezes mesmo já ajudei os chapas a descarregar saco de 50kg subindo 10, 20 e até 30 degraus. Nesses dias chegava em casa muito puto e cansado.  Em um desses dias, jantando com meu velho ele me perguntou “O que você aprendeu hoje?” e eu p.. da vida disse “Não aprendi nada”. E isso não faz tanto tempo assim, foi em 2005.

A vida da gente é feita de etapas. Muitas coisas boas  outras tantas ruins e todas, sem excessão, nos ensinam alguma coisa, eu demorei a aprender isso mas quando aprendi passei a valorizar mais aquilo que tenho.

Então você pergunta, o que tudo isso tem a ver com pedalar 100km? Bem… o que você aprende pedalando 100km é, basicamente, que pedalar um pouco mais é possível. Parece pouco, mas não é.